Green is the new black – os desafios da indústria têxtil na sustentabilidade do planeta

A preocupação não é à toa. Avaliado em cerca de US$ 2,4 trilhões e responsável por empregar mais de 75 milhões de pessoas em todo o mundo (segundo dados da ONU Meio Ambiente) o setor têxtil e toda sua cadeia produtiva é uma força que impulsiona a economia e demanda muito dos recursos naturais, portanto traz consigo alguns pontos de reflexão. 

Um deles é a constante busca por novas tecnologias capazes de reduzir o impacto de suas práticas no meio ambiente, já que também se destaca por ser um dos mais poluentes do planeta. É o segundo setor que mais consome água e emite até 10% dos gases estufa do planeta.

Muito já vem sendo feito pelas grandes empresas do setor para minimizar, de forma significativa, seus impactos como a reutilização, o não desperdício de materiais, reaproveitamento de recursos e inclusão de insumos sustentáveis na produção, mas será o suficiente? E a parte social? E a gestão?

Para alcançar o desenvolvimento sustentável, seguem cinco princípios que a indústria deve adotar. Sabemos que conseguir tudo isso está associado a custos. As empresas não podem adotar princípios sustentáveis que comprometam a competitividade. 

Esse é o equilíbrio que a indústria deve encontrar para adotar práticas sustentáveis gradativamente, de forma que os custos adicionais associados à sustentabilidade não afetem a competitividade.

Alcançar tais princípios sustentáveis sem comprometer a competitividade pode ser assegurado através do desenvolvimento de novos produtos, melhoria da qualidade e produtividade, controle de custos e adoção gradual de iniciativas verdes e ecológicas. Todos esses parâmetros competitivos da indústria contribuirão para a adoção dos respectivos princípios sustentáveis.

Desafios a superar

O maior desafio, portanto, é alcançar a sustentabilidade sem perder competitividade no mercado.

Recomendações para o desenvolvimento sustentável da indústria têxtil 

Tenha em mente que a mentalidade do consumidor também mudou, portanto se preocupar com o meio ambiente também significa abraçar o novo consumidor e assim engajar a toda a sociedade.

leia mais | relacionados

Rastreabilidade na cadeia de fornecimento: pilar essencial para a agenda ESG

A sigla ESG, que significa Environmental, Social and Governance (Ambiental, Social e Governança), vem ganhando cada vez mais relevância no mundo dos negócios. As empresas que se preocupam com o futuro e desejam se destacar no mercado estão buscando implementar […]

continue lendo aqui

O papel da gestão da supply chain na agenda ESG

A agenda ESG (Ambiental, Social e de Governança) tem se tornado cada vez mais importante para as empresas que buscam se tornar mais sustentáveis e responsáveis. Nesse contexto, a gestão da cadeia de fornecimento (supply chain) desempenha um papel central. […]

continue lendo aqui

Pesquisa Deloitte revela: ESG sobe para a segunda maior prioridade para executivos de compras

Eficiência operacional e integração #ESG na supply chain são as principais prioridades no negócio para executivos de compras em 2023. É o que aponta a pesquisa conduzida pela Deloitte e Odgers Berndtson com 350 participantes, em mais de 40 países. […]

continue lendo aqui
💬 Dúvidas? Nos envie uma mensagem!